quinta-feira, 9 de agosto de 2012

saudades

O tempo para.
Os dias não andam.
Os olhos se esticam seguindo a linha do horizonte.
O peito dói morno, lânguido.
Os pensamentos insistem, pintam imagens de sorriso infantis, gargalhadas de adolescente e o primeiro choro de amor.
Ai, a China é tão longe.
Skipe não alivia nada.
Mãe é tudo igual e o choro vem, mas não sai:
É melhor pra ela, é a decisão dela.
Está tudo bem.