quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

DESABAFO TERRÍVEL DA CÁTIA PEDROSA.


Não sei a veracidade desse desabafo da Cátia, mas olhando a pagina dela do FB, a situação parece ser real.
Não creio que a Cátia brincaria com algo tão sério.
Quem souber alguma notícia dela, me avise por favor!


"QUEM VOS ESCREVE É CATIA PEDROSA. ESTOU SOLIDARIA A VOCÊ E CERTAMENTE CORRENDO O MESMO RISCO... DE SER BANIDA DO FACEBOOK... MAS VOU DAR-TE UM BREVE RELATO DO QUE VEM OCORRENDO, SE É QUE ISTO VAI TE CONFORTAR... EM OUTUBRO 2010, FUI ACOMETIDA POR UMA DOENÇA CHAMADA SÍNDROME DO PANICO, DEPRESSÃO DE ULTIMO GRAU... QUE RESULTOU NUMA ANOREXIA NERVOSA... OS QUE ME CERCAVAM CHEGARAM A PENSAR QUE EU TINHA "AIDS" , CHEGUEI AOS 40 KILOS COM 1.72 DE ALTURA...

SE VC VISITAR MINHA PAGINA CERTAMENTE, IRÁ IMAGINAR QUE ATRAVÉS DAS FOTOS E DO QUE POSTEI EM MEU PERFIL, SOU OU ESTOU MUITO BEM... VOLTEI PRO RIO DE JANEIRO, ONDE RESIDE TODA MINHA FAMÍLIA A PEDIDO DE UMA GRANDE AMIGA ROSE SAAD, QUE RELATOU AO MEU IRMÃO , EM QUE O MESMO DETÉM HOJE UMA DAS MAIORES EMPRESAS DE TELEMARKETING CHAMADA GESTÃO 24 HORAS. ELE PRONTAMENTE, ATENDEU A REIVINDICAÇÃO DE MINHA AMIGA... E ME TRANSFERIO PRO RIO DE JANEIRO SOB UMA CONDIÇÃO.... ELE ME DARIA UM RESPALDO FINANCEIRO DE UM SALÁRIO MINIMO POR MÊS POR UM ANO... ACEITEI AS CONDIÇÕES POR ESTAR SENDO DESPEJADA DO APÊ QUE MORAVA EM ALPHAVILLE... NA ÉPOCA , FUI COLOCADA NUMA DAS CASAS DE HERANÇA DO MEU AVÓ... MEU ESTADO CIVIL É SOLTEIRA!!!!! SOU ADVOGADA POR FORMAÇÃO, MAS, DEVIDO AO PROBLEMA DE SAÚDE NÃO CONTINUEI A EXERCER MINHA PROFISSÃO... CHEGANDO AQUI SENDO FILHA DE MILITAR, DE UM SENHOR QUE RECEBE, $ 8.000,00 POR MÊS, APENAS E TÃO SOMENTE RECEBIA UM SUPERMERCADO POR MÊS NO VALOR DE $ 250,00... E AS CONTAS FIXAS PAGAS. MAS, EU CONTAVA COM O EMPENHO DELE EM REIVINDICAR O TRATAMENTO DE SAÚDE CONCEDIDO PELO EXERCITO PARA SANAR O PROBLEMA ORA MENCIONADO. PRA MEU ESPANTO, FUI EXCLUÍDA POR MOTIVOS QUE DESCONHEÇO DO FUSEX ( PLANO DE SAÚDE CONCEDIDO) POR LEI AS FILHAS SOLTEIRAS MAIORES DE 24 ANOS... EM SÍNTESE,NÃO PUDE OBTER O TRATAMENTO INERENTE AO MEU QUADRO DEPLORÁVEL... EM SUMA, JÁ SE PASSARAM 4 ANOS VIVO SOB O TETO DEIXADO POR MEU AVÓ, EM EXTREMA MISÉRIA!!!!! E PRA PIORAR HOJE TENHO UM CÂNCER NO ABDOMEM QUE ME LEVOU AOS 100 KILOS, EM VIRTUDE DISSO, MEU FILHO ME CONCEDEU UMA ASSISTÊNCIA MÉDICA HÁ SEIS MESES ATRAS... DE OUTUBRO PRA CÁ DEVIDO Á FOME QUE PASSO QUASE FREQUENTEMENTE... MESMO RECEBENDO VEZ EM QUANDO UMA REFEIÇÃO DE UM VIZINHO QUE ATENDEM MINHA SOLICITAÇÃO QUANDO EU CHEGO AO CÚMULO DA FRAQUEZA... NÃO TENHO RENDA ALGUMA, E OS REMÉDIOS OU SÃO CONSEGUIDOS POR HOSPITAIS PÚBLICOS, DE PÉSSIMO ATENDIMENTO OU PELOS POUCOS CONTATOS QUE AQUI NO RIO MANTENHO... NA IMPOSSIBILIDADE DE FREQUENTAR OS CONSULTÓRIOS CEDIDOS PELA ASSISTÊNCIA MÉDICA POR FALTA DE DINHEIRO PARA TAL... EM NOVEMBRO, PEGUEI UMA PNEUMONIA GRAVE... QUE SANEI NA MARRA... E NA FÉ!!!! E AGORA NO PENÚLTIMO SÁBADO... PEGUEI DENGUE, SEM CONTAR OS QUADROS HEMORRÁGICOS QUE VENHO TENDO EM FUNÇÃO DA MENOPAUSA... ESTOU ACAMADA DESDE OUTUBRO, MINHA CASA ESTA EM COMPLETO ABANDONO... POR NÃO TER FORÇAS, NEM PRODUTOS ADEQUADOS PARA MANTE-LA HIGIÊNICA O BASTANTE PARA TER O MINIMO DE CONFORTO... POIS, SÓ CONSIGO LEVANTAR PRA IR AO TOALET, OU PEGAR O PRATO DE COMIDA QUE PEDI A ALGUM VIZINHO, QUANDO CHEGO AO EXTREMO DA DOR... HOJE, TOMEI UMA DECISÃO... PEDI SOCORRO A 3 APRESENTADORES DE MUITA AUDIÊNCIA AQUI NO RIO DE JANEIRO, POR CARTA,POR TELEFONE ETC E NÃO OBTIVE EXITO COM NINGUÉM... OS MEUS, VÃO FICAR SABENDO, EMBORA ESTEJÃO TÃO PERTO ATRAVÉS DESTE RELATO... MAS EU NÃO VOU CONTINUAR MORRENDO A MINGUÁ... SE UM DIA A MINHA FAMA!!!!! SERVIU PARA CUSTEAR AS BENECES DE MUITA GENTE, VOU ME UTILIZAR DESTE PRETEXTO PARA PUBLICAR MINHAS ATUAIS CIRCUNSTÂNCIAS... EU POSSO ATÉ VIR A FALECER... SEJA POR MORTE NATURAL OU POR MORTE ENCOMENDADA... MAS, VOU GRITAR PRO MUNDO INTEIRO OUVIR QUE TER SIDO IMPORTANTE UM DIA, NÃO SIGNIFICA MORRER SEM UM PINGO DE FALTA DIGNIDADE... REITERO, É POR TAIS MOTIVOS QUE NÃO TEM UMA FOTO RECENTE MINHA... E JÁ NÃO AGUENTO MAIS TANTO SILENCIO, HUMILHAÇÃO, DESCASO... ESTE, SERÁ ENVIADO A TODOS OS JORNAIS CARIOCAS, BEM COMO OUTROS PROGRAMAS DE TELEVISÃO E SITES DE FOFOCAS... ATÉ PRO PREFEITO SE FOR PRECISO... EU NÃO VOU CONTINUAR COMENDO MEUS PRÓPRIOS DENTES, DOS QUAIS SÓ ME RESTARAM OS DA FRENTE... PRA SER NOTICIA PÓSTUMA... AOS 49 ANOS DE IDADE... ESTE É
MEU DESABAFO... CATIA PEDROSA"



Trecho do meu livro "A BOCA DE SÃO PAULO".




A PRIMEIRA VEZ DE UMA ADOLESCENTE.

A
primeira vez que andei na Boca não foi exatamente na Rua do Triumpho, mas na Rua Dino Bueno, Bom Retiro, em 1975, a convite da DaCar produções, para estrelar o filme, Possuídas Pelo Pecado.
Aceitei este filme por insistência de algumas pessoas e do David Cardoso, dono da DaCar. Fui apresentada a ele na padaria da TV Tupi. Eu participava, de vez em quando, de programas humorísticos da emissora. Ainda era menor, mas o David desconhecia o fato.
Eu havia conseguido um documento, com data anterior ao meu aniversario, na Praça da Sé, em São Paulo. Fato impressionante, mas corriqueiro, em plena ditadura. Bastava ir à Praça da Sé, procurar um “homem – placa”, onde estava escrito “tiramos documentos”, e ele te acompanhava até uma sala típica do centro. Escura e sem janela. Pronto. Por uma quantia irrisória, forneciam um papel, com o nome que quisesse e filiação idem, para ir a um cartório e providenciar seu novo registro. Simples assim. Estava – se de posse de um documento legítimo: um registro de nascimento oficial. Na verdade, era a segunda vez que eu aprontava uma dessa. A primeira foi por pura baderna, com uma amiga, aos treze anos, para irmos a shows. Como não gostei do nome que me dei no primeiro documento, resolvi mudar e fiz esse outro. Com a certidão de nascimento novinha em folha, tirei atestado de antecedente criminal e identidade na delegacia, carteira de trabalho na Martins Fontes e assinei o contrato com a Dacar produções cinematográficas. Quando completei 18 anos, passei a usar, em definitivo, meus documentos originais.
O David, que só ficou sabendo alguns anos depois, não me perdoa até hoje por ter feito isso com ele, diz que se soubesse minha idade, não teria me contratado. Ele era muito correto. Eu, meio inconsequente e maluca, mas quem não é quando se é adolescente?
Depois dessa primeira vez, a coisa pegou. Foi um filme atrás do outro. Por mais que tentasse sair desse meio, algo me atraía. Por esse ou aquele motivo, não conseguia parar de filmar. Eram convites incessantes. Recusei muito mais filmes do que fiz.  ....

PARA ADQUIRIR O LIVRO ACESSE:
https://www.clubedeautores.com.br/book/60415--A_BOCA_DE_SAO_PAULO 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Chega!! Eu quero gente.

Chega!

Vou deletar gente que incomoda em minhas páginas virtuais.
É bem verdade que quem esta na rede não pode reclamar de falta de privacidade.
Mas... Porque temos que aguentar certas pessoas que só raciocinam o mal, falam o mal e, consequentemente preferem ser do mal?
Cansei.
Eu não suporto certas coisas:
Ex:
Gente falando mal de artista que nem conhece, não é falando mal do desempenho, é colocando no artista todas as sua frustrações e malignidade.
Gente que brinca com o sofrimento animal.
Pessoa que faz piadinhas do sofrimento alheio.
Babacas que se divertem com tragédias.
Cansei mesmo. Tenho deletado, bloqueado, mas persiste.
Não sou de rejeitar quem me pede amizade virtual. A princípio acredito que todo mundo pode ser bom, mas, ainda fico espantada quando vejo essas perversidades mascaradas de "gracinhas inocentes".
Detesto isso:
Gracinhas com cara de inocente, mas não são.
Pessoa boaziiiinha.
Aliás tenho pavor de gente boazinha. Gosto de gente boa. Boazinha não. Vocês sabem do que estou falando.

Pessoas que se travestem de protetores de animais e catam cachorro, depois jogam nas costas da primeira protetora de verdade que encontram. Detestooooo.
E aqueles que te prometem ração para seus vira latas velhos, pois se dizem consternadas com o sofrimento dos bichinhos abandonados e nunca, nunca dão nada, mas espalham para todo mundo que são defensoras de animais.
Hipocrisia.

Outra atitude desprezível por parte de alguns homens: Dão a entender que já saíram com você, quando jamais seriam aceitos nem como amigo.
Atitude desprezível de certas mulheres: Falar alto comentando defeitos que pensam serem das outras quando na verdade falam de seus defeitos interiores.

Chega! Chega de gente do mal.
Já vivi muito. Não sou obrigada a aguentar gente maligna em minha vida e nem em minha página virtual!
Parece bobagem. Até pode ser. Para mim não é.
Eu quero gente do Bem, educada, alegre, que tenha dores reais e xingam quando estão irritados. Quero gente autêntica, mas que respeitam a dor alheia e tenham o desejo de evolução como ser humano.
Quero gente que é gente, de qualquer credo, qualquer cor, qualquer raça, mas que seja verdadeira, humilde, sensível, sensibilizada, amável, enfim...

(Quero alguém como aquele rapaz de Santa Maria que pegou uma ferramenta e quebrou a parede da boate.)

Gente que se importa e marque com o selo do Bem a vida de, pelo menos, uma pessoa nesta breve trajetória pela Terra.



segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

a burrice de quem faz piada com tragédias

O Brasil é um berço de comediantes. Temos motivos de sobra para se criar piadas, a começar, obviamente pelos políticos.
Há os aspectos regionais engraçados, do norte ao sul, do sudeste ao nordeste.
Mulheres loiras, mulheres feias, gordos e gays fazem parte das inspirações, mesmo um tanto preconceituosas, do cardápio de qualquer comediante.
Respeitamos a liberdade de criação do artista.
Os humores ácidos, irônicos, perversos e alguns deselegantes estão incorporados em qualquer repertório de qualquer stand - up do mundo inteiro.
Chris Rock escracha com os negros.
O comediante judeu Ben Ludmer chegou a ser agredido quando emitiu essa pérola: "Sou judeu, gordo, nordestino, mágico e estou em dúvida quanto à minha orientação sexual."
Enfim, há gosto para tudo. 
Eu admiro quem sabe contar uma piada, pois sou uma negação, ninguém ri de minhas piadas, acabam rindo da minha inabilidade em conta - las. 
Há pessoas que nasceram para fazer rir.
E
Há seres - humanos e psicopatas.

SIGNIFICADO DE PSICOPATA RETIRADO DO SITE www.significados.com.br

Psicopata é um indivíduo clinicamente perverso, e que tem personalidade psicopática. Psicopata é uma pessoa com distúrbios mentais graves, caracterizado por um desvio de caráter, ausência de sentimentos, frieza, insensibilidade aos sentimentos alheios, manipulação, egocentrismo, falta de remorso e de culpa para atos cruéis e inflexibilidade com castigos e punições....
Os psicopatas nascem com características como impulsividade e ausência de medo, o que faz com que busquem condutas de riscos e perigo, terminando muitas vezes em atitudes antissociais, uma vez que são incapazes de se estabelecerem corretamente nas normas sociais. 

Como os piadistas de tragédias são, em geral, medrosos, pois pedem desculpas, imediatamente, após serem criticados, vemos então que eles imitam psicopatas de verdade, numa vã tentativa de parecerem bad boys (que coisa antiga).
Talvez, eles possam ser engraçados para alguns imbecis que também querem ser "do mal" mas, covardemente, se escondem atrás da opinião alheia.
São loosers, apanharam ou foram extremamente mimados na infância. 
Querem rir das dores alheias para não verem as dores que corroem seu íntimo.
Pobres coitados! Não são comediantes, são comédia humanas. 
São uns idiotas. 
Não sabem fazer de outra forma até que....
A pimenta arda em seus olhos.




sábado, 26 de janeiro de 2013

nicole puzzi: Eu tenho um filho e ele se chama Roni Galvão.

nicole puzzi: Eu tenho um filho e ele se chama Roni Galvão.: Muitos anos atrás, fui convidada para para ser voluntária na antiga FEBEM.  Alguns amigos tiveram receio e aconselharam - me a não aceitar,...

Eu tenho um filho e ele se chama Roni Galvão.

Muitos anos atrás, final dos anos 80 e início dos anos 90,  fui convidada para para ser voluntária na antiga FEBEM. 
Alguns amigos tiveram receio e aconselharam - me a não aceitar, afinal, o local abrigava infratores e não somente crianças abandonadas.
Porém, não tive medo. Aceitei. 
Levei um choque ao chegar lá.
Muitos adolescentes tentando ser um adolescente normal, mas a vida severina não permitia.
A realidade daquelas crianças era bem diferente. Era cruel.
Meninos reclamavam de ter apanhado com toalha molhada para não deixar marca. No início fiquei indignada e insisti que fossem até o Juiz e denunciassem. Eles recusavam. eu não entendia e perguntava por que? Até que ouvi: Tia, quem bate trabalha aqui, o juiz não.
Vi coisas que arrepiaram minha sensibilidade:
- Uma menininha cujo pai e mãe tinham morrido. Ela era pequena, mas os seios estavam proeminentes. uns quinze dias depois, ficou óbvio que ela não era mais uma menininha. Seu olhar  era outro, havia perdido a inocência.
- Um rapaz de 17 anos, alto, negro e bonito que cumpria suas "obrigações" com uma certa mulher que trabalhava lá e que deveria orienta - lo para um futuro melhor.  
- Jovens que tentavam suicídio e outros que se suicidavam.
- Profissionais que sequer se preocupavam com os internos.
- Profissionais que descarregavam seu ódio encima daqueles meninos.
- Profissionais de ambos os sexos que perseguiam libidinosamente os internos de boa aparência.
MAS...
A  par de todo esse circo dos horrores havia profissionais e voluntários de excelente índole, que se preocupavam de verdade e faziam a diferença na vida dos menores. Pessoas que se sacrificavam em busca de um futuro para aqueles jovens esquecidos e detestados pela sociedade "normal".

Entre esses jovens, havia um rapazote de 14 anos, que usava óculos e tinha um humor ácido. Um menino pardo, magro, de olhar atento e muito inteligente. Esse menino tinha sido encontrado no lixo, abandonado por alguma mulher que o colocou no mundo e seria sua mãe e sabe - se lá quem era o pai. Na sua identidade não constava os nomes no local FILIAÇÃO. Confesso que chorei ao olhar o vazio naquele espaço sem o nome do pai, sem o nome da mãe.

Ele era o meu melhor aluno no curso de teatro.
Pensei em dar meu nome para preencher o espaço vazio. Impossível, disse - me um juiz. Você é solteira, a Lei não permite. (Estamos falando de anos atrás). 

Levei esse garoto para sua primeira noite de Natal em família com a minha família.
Fizemos muitas coisas juntos: teatro, ida ao CT do Palmeiras entre outros passeios. 
Certa vez, o rapazote estava muito rebelde, falava coisas agressivas. Eu olhei em seus olhos e falei :
- Ninguém vai te ajudar. Seu futuro depende exclusivamente de você. Você decide o que quer para o seu futuro. 

Á noite, passei mal, sentindo - me culpada por tanta frieza, mas essa era a triste realidade daquele jovem. Só ele podia se ajudar. 
Os anos passaram, o rapazote tornou - se homem, arranjou emprego, formou - se na faculdade e constituiu família e um dia trouxe lágrimas aos meus olhos:
 - Nicole você me deu um conselho de mãe quando disse que meu futuro só dependia de mim. 
Esse é o meu filho, Roni. Eu estava certa, o rapazote era inteligente. Tornou - se um pai amoroso, bom marido e um grande homem do qual eu me orgulho.


Te amo meu filho.



quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Arrogância! Que m....

Arrogância é o mesmo que prepotência. Uma atitude de soberba, de se imaginar superior aos outros, etc.
Não tenho pretensão de dar todos os significados dessa palavra, procurem na web, nos dicionários, enfim..
O que me causa acessos de risos é a atitude do arrogante! 
Cara, que coisa ridícula é a pessoa que "se acha"! 
Vejo arrogância em todas as classes sociais, desde o mais rico até o mais pobre. 
Vejo arrogância em todas as cores, em todos os credos, em todas as profissões, em todos os sexos, em todos os grupos, enfim...
Arrogância é coisa humana. Por mais que se observa um animal é impossível ver arrogância em suas atitudes.
"Gente que arrota"  é a descrição perfeita do ser "arrogantoso" (arrogantoso - expressão {acho que} inexistente no dicionário de língua portuguesa, mas arrogantemente eu a incluí no texto)
No entanto, o arrogante parece viver arrotando sua superioridade, suas excelências, sua celebridade, seu nome de família tradicional - Quanta bobagem.... (Para ser bem rasteira e óbvia: todo mundo tem o mesmo destino: embaixo da terra ou cremados ou desaparecidos em algum acidente) 
Mas, o que quero neste pequeno relato é dizer que os arrogantes são engraçados, personagens da comédia humana. Enquanto arrotam por cima, soltam pum por baixo (Sou elegante meu bem, não falo a palavra peidar. Ih! Falei!) 
Quando vejo um arrogante arrotoso (Hoje estou impossível, hehehe), já penso: lá vem diversão! Deixo ele se achar e depois sigo minha vidinha simples, do meu jeito simples, com a simplicidade de meus dias e, se tiver na boa, eu viro, humildemente, para o Arrogante e digo: Vá se catar! 

A arrogância é o reino - sem a coroa.