terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Um stand up romântico!

Não sei se estou lançando moda ou não. Que importa? Não importa, o que quero é fazer rir com meu stand up que classifico como romântico.
Mas tematização de stand up já existe. Chris Rock fala sobre negros. Yohai Sponder e Meni Malca são judeus.
Eu sou romântica, pelo menos a personagem de "Eu Só Estava Amando em 70" é uma romântica enrustida. Nome dela é Mirna Loy. 
A peça é de minha autoria, dirigida por Dominique Brand . Tem muita coisa a ver com minha vida, mas não é a minha vida. Revelo algumas experiências íntimas engraçadas como por exemplo, conversar com Elvis Presley quando ficava de porre na minha juventude; querer processar Roberto Carlos por ter acreditado em suas músicas e com isso passar décadas deprimida, fazer amor na juventude dentro de um "Pois É"; o primeiro beijo e a dificuldade em permitir uma passada de mão nas coxas; a tensão e tesão de namorar durante a ditadura.  
A maioria das histórias tem fundo de verdade, mas não entrego tudo, pois há projeto de sequencia.
Não falo sobre minha carreira no cinema na peça, isso fica para uma outra temporada. Falo de algumas experiências como adolescente nos anos 70.
A ficção está junta e misturada com a realidade e não é difícil concluir onde começa uma e acaba a outra.  
Vale a pena conferir por, pelo menos dois motivos:
1 - Você vai rir.
2 - Eu vou rir.
E, afinal, o stand up romântico" Eu Só Estava Amando Em 70" é muito bom, mesmo. Eu garanto.
Aguardo sua presença em alguma cidade do Brasil. 







Beijos da Nicole