segunda-feira, 29 de abril de 2013

PORQUE ALGUNS PREFEREM BICHOS AOS SERES HUMANOS?


Por que quase todo mundo que lida com cães abandonados tem estresse? Ficam revoltados, preferem bichos ao ser humano, se metem em brigas feias quando veem alguém batendo em um animal?
Qual a razão dessa quase neurose ao defender um simples cão, gato, cavalo etc?
Por que muitos protetores se isolam e são meio ranzinzas?
O que leva gente a preferir a companhia de cães e gatos do que de seres humanos?

Somente quem ja viu de perto a crueldade, os maus tratos infringidos à seres indefesos consegue entender as atitudes desses admiráveis "neuróticos de guerra" contra atrocidades inimagináveis para quem nunca presenciou a ferocidade humana na batalha contra a vida animal. 

Estamos num país onde muitos não respeitam a vida humana.
- Matança generalizada de gente desarmada em todos os sentidos, inclusive desarmadas de ódio.
- Queima - se viva quem levou uma vida digna, dedicada à família e somente fez o Bem.
- Mata - se os pais a golpes de porretes.
- Atira - se na cabeça de um jovem trabalhador que entrega sem resistência seu celular na porta de casa.
- Bebe e sai para matar crianças e outros humanos indefesos cujo único mal foi andar nas calçadas.
- Estupra - se bebês e velhinhas. 
- Desvia - se verba da Saúde.

Vou parar a relação cruel e torpe por aqui, senão corro o risco de vomitar de nojo.

Agora, se fazem isso com um semelhante, com quem, no mínimo, consegue implorar pela vida em nome de Deus.
Pense!
O que fazem com um bichinho que não fala nossa língua, cuja única defesa é latir, rosnar, miar, soltar um rugido, arreganhar os dentes ou mostrar as unhas?

A covardia em assassinar um animal é bem maior do que enfrentar outro filho de Deus, que pode soluçar implorando misericórdia.

Vocês não imaginam as barbaridades cometidas contra animais! 
Não dá para explicitar. Não dá para entender. Não dá para colocar aqui.
Na hora que vemos essas aberrações contra um cachorrinho ou gato, dá vontade de gritar! De não acreditar que alguns humanos foram feitos a imagem e semelhança de Deus! Os sentidos ficam abalados. A descrença na raça humana é total. 
Procuramos, internamente, com muita acuidade se não carregamos o vírus da covardia cruel da raça humana e quando não encontramos esse vírus dentro de nós, não conseguimos compreender a existência do mesmo nos desprovidos de alma.

Em resumo, a pressão em suportar imagens terríveis de selvageria humana contra animais quase enlouquece pessoas mais frágeis. 
Ve - se claramente a maldade fria que corre nas veias de alguns seres humanos ou desumanos.
Não dá para entender a falta de sentimentos desses monstros, mas que são pessoas comuns, que andam disfarçados de humanos em meio à sociedade.

No entanto, ao lidar com os bichinhos espancados, mutilados, estuprados e apavorados, em choque, soltando xixi e coco pelas pernas, mordendo de lado numa última tentativa de se defender, surge, nas mentes dos defensores, além da "neurose de guerra" um sentimento de profundo respeito e amor pelos seres humanos não contaminados pela covardia cruel.

Revela - se:
Gente boa existe sim. Gente grandiosa que vive nesse lodo cruel da malignidade, mas não se deixa sujar.
Seres humanos que sorriem, estendem a mão não apenas aos animais irracionais, mas também ao outro ser humano.
Gente que alimenta, que cuida, que é gentil e que às vezes nem tem animal em casa, mas que respeita a Criação Divina.

Uns preferem a escuridão da perversidade enquanto outros preferem a Luz da paz.

Há esperança. 
Eu admiro os protetores da Vida.
Todo meu respeito àqueles que fizeram opção pela Luz do Amor. 



sábado, 27 de abril de 2013

TANTAS COISAS BOAS....

Tanta coisa boa no mundo para vivenciarmos e uma parcela da população prefere o lado escuro.
Gente que ofende, xinga e que não perde ne- nhu - ma oportunidade de "descer a lenha" nos outros.
Pessoas amargurados na espreita de um motivo, por menor que seja, para ver no outro aquilo que corrói dentro de si.

Não falo sobre comentário a meu respeito, que em sua maioria é bem positivo. 
Tenho muita sorte em ser querida por um monte de gente, até por quem nunca me viu pessoalmente. Agradeço toda noite antes de dormir e agradeço mais uma vez aqui nesta página.


Falo de comentários em geral. Aqueles que a gente vê nas redes sociais ou presenciamos numa academia, na faculdade, num circulo de pessoas. 
Tem gente que perde tempo em ver o "calcanhar de Aquiles" dos outros. Sentem um prazer esquisito em achincalhar a vida alheia, desancar colegas e até comentar levianamente a atitude de parentes.

Tanta coisa boa nas pessoas...

Olha o que ja vi: 
uma senhora difícil de lidar, mas cujo coração era um exemplo de amor. 
uma moça meio aloprada, que falava demais, mas que era uma amiga exemplar.
um cara fechadão, sisudo, mas que abrigava cerca de 15 animais abandonados em sua casa.
um mendigo de aparência de meter medo, mas um doce de pessoa, que devolveu a carteira que caiu da bolsa de uma senhora.
O manobrista de meu prédio que a princípio parecia distante e foi só dar bom dia para ele soltar um sorriso encantador.
Mãe chata que se atiraria enfrente a um revolver apontado para os filhos.
Pais calados que se matam de trabalhar pensando no futuro dos filhos.
Tanta coisa boa....

Tanta coisa boa para se reparar e não me conformo com quem só repara no lado ruim. 
Gente, a vida é curta, então Curta! 
Seja feliz e faça feliz e se não puder fazer o outro feliz, coloque o silêncio em seus lábios.
Falar mal é um vício tão pernicioso quanto o crack.



"A fofoca sempre está a serviço da inveja. Quanto mais invejosa for a pessoa, mais fofoqueira ela é..."
Bárbara Coré






sexta-feira, 26 de abril de 2013

"FREIOS E CONTRAPESOS"

Fiz três anos de Direito. 
Tranquei matrícula por questões pessoais.

Amava as matérias de Direito Constitucional e Sociologia Jurídica.
Estudei os 3 Poderes. Li muito o brilhante jurista português Nuno Piçarra que discorre magnificamente sobre o conceito da Separação de Poderes remontando a origem desses conceitos a Roma e Grécia da antiguidade. O mestre Piçarra identifica a ideia primeiramente em Aristóteles sintetizando o conceito na Constituição Mista, como a melhor Constituição tanto para a elite quanto para a plebe. 
O pensamento de Aristóteles, segundo Piçarra, é o equilíbrio ou balanceamento das classes sociais e sendo assim conduz à teoria de freios e contrapesos.

Sobre esse assunto existe farto material de grandes juristas em muitos livros doutrinários e até mesmo na internet. Basta pesquisar. 


Por isso, pelo que estudei e pelo que vejo, estou ficando assustada com um dos Poderes, o Legislativo que parece desejar ficar acima do Poder Judiciário. Estou errada? Não sei. 
Sinto que a democracia esta sendo ameaçada com tantos parlamentares denunciados exercendo cargos de poder decisório para o país. 

Para mudar a Constituição (isso é um perigo) em favor do próprio Legislativo, os parlamentares estão sendo rápidos demais, mas a demora em atualizar o Código Penal e Código de Processo Penal é tão exagerada quanto as mortes sem justiça, sem razão nem piedade. 
O desrespeito pelas liberdades individuais e crianças que crescem acreditando que têm apenas Direitos, ignorando os Deveres de uma sociedade democrática é um perigo. 

 “Toda sociedade, na qual a garantia dos direitos não está assegurada, nem a separação de poderes estabelecida, não tem constituição” Declaração Universal dos Direitos Humanos, de 1789.


NADA ALEM DAQUILO QUE ESTA ESCRITO

O que escrevo é apenas isso: gosto de escrever.
Nem sempre é desabafo, nem sempre é revolta.
Nem sempre é inteligente, nem sempre é divertido, mas sempre é o que penso. Pode ser que sejam pensamentos simples ou até simplórios, mas são meus. 

O que escrevo às vezes reflete meu humor, às vezes não e na maioria das vezes reflete apenas o que penso no momento em que estou pensando. 
Ver algo mais significativo em meus escritos é "ver demais de além da conta", como diz a mineirada maravilhosa.

Sou uma pessoa saudável, meio brava, mas de coração mole, incapaz de ficar com raiva de alguém por mais de alguns minutos. Sou uma mulher que pode chegar às lagrimas por causa de um cachorro maltratado e soltar sonoras gargalhadas por uma simples piada bem ou mal contada.
Ah, sim, de vez em quando assisto o Gugu e chego a chorar com a emoção daquelas pessoas que "voltam pro seu aconchego". Rio das bobagens do Silvio Santos e fico apavorada com  Supernatural  e Criminal Minds.
Enfim... Sou apenas uma pessoa simples igual a qualquer outra pessoa simples.

Mas, percebo que alguns tentam interpretar minhas palavras como se existisse algo além daquilo que está escrito. 
Até recebi "orientações" para mudar minha "visão triste e magoada, carregada de revolta". 
Só que.... Eu não tenho essa visão e quando estou magoada eu falo que estou magoada, bem como falo quando estou revoltada. 
Ademais, escrevo sobre o que observo e, até faço protesto como foi no caso do post Walking dead's river  http://nicolepuzziverdadeira.blogspot.com.br/2013/04/nicole-puzzi-walking-deads-river.html
que era tão somente um apelo contra "morte lenta" do Rio Tietê e, fiquei surpresa ao ver que algumas pessoas  deduziram que o citado post demonstra uma tristeza e revolta pessoal e espiritual. Essa dedução é tola, vai além da minha compreensão e me fez escrever isto que estou escrevendo. 
É bem verdade que eu fico triste e revoltada em ver o descaso com o Rio Tietê, como qualquer ser humano que ama a Natureza se revolta e entristece com isso, mas não é algo "espiritual" que está me deprimindo e me adoecendo, pelo contrário, é algo que me leva a protestar e me unir aos que amam a Vida e veem, na mesma, motivos para ser feliz e defende - la e, exatamente por valorizar a Vida é que eu e muitos outros seres humanos tentamos preserva - la através da preservação de rios, animais, flores, enfim... Luta na defesa de tudo que tem... Vida.

Penso que, algumas pessoas que veem "minha tristeza e depressão espiritual" inexistentes, nem leem o que escrevo no blog, ou se leem não entendem. Voltamos ao assunto de analfabetismo funcional.

No entanto, recebo boas críticas e outras nem tanto, mas que são válidas e inteligentes, pois analisam aquilo que esta escrito e não aquilo que supõem enxergarem por trás de minhas palavras.

Quando estou triste eu falo que estou triste, mas, para tristeza de muitos, atualmente e, em geral, a tristeza não faz parte de minha personalidade.

Relaxem. 
Até quando terei que explicar que não vivo infeliz? 
Até quando devo falar para os Amaury Jr da vida que envelhecer não me assusta como assusta a ele? Que botox mal colocado como o dele é bem pior que ruguinhas naturais?
Bem, estou desviando do assunto, mas foi proposital, de vez em quando gosto de zoar das bobagens que ouço. 

Peço:
Não vejam em mim a infelicidade que enxergam em suas vidas.

Prometo:
O dia em que eu estiver infeliz, com certeza, irei compartilhar nesta página. Aliás, página que ninguém deve ler se não gostam de ler o que escrevo. 
Mas, ADOOOOOROOOO quem gosta de ler o que escrevo. Fico toda cheia e me sinto bem, afinal, qualquer artista gosta de ser querido e visto. 

Beijos aos que me gostam.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

WALKING DEAD'S RIVER

O que fazer com rios mortos?
Olhar e mais nada?
Só isso? 

Olhar as Marginais paulistanas horrorosas, cerceando a liberdade de dois rios, quase falecidos. Tristeza ou revolta? 
As curvas e contornos do "rio de asfalto" serpenteia em torno dos dois cadáveres vivos feito cobras medonhas e assustadoras criadas pela nefasta mão que mata a beleza e enterra esperança por um bocado de dinheiro no bolso é triste, muito triste e amedrontador.

Lá vai o rio, quer dizer, la não vai mais o rio, vai a sujeira, a indignidade, o desrespeito, a corrupção tão nojenta e lamacenta feito seu leito. 

Vim para o "avesso do avesso do avesso" em 1970 e desde essa longínqua data ouço rumores, bravatas, falatórios, isso e aquilo sobre o walking dead's river e nada acontece. Nada acontece. NADA! Só a vazão do dinheiro dos contribuintes que esperam e esperam e esperam ver o dia em que garças, jacarés do papo amarelo, Cedros, Pau- marfins e uma infinidade de vida retornem àquelas margens e correntezas.

Milhões arrastados de projetos em franca correnteza para bolsos administrativos. Corrupção ou incompetência? Ou as duas coisas juntas? No entanto, com ou sem resposta a essa questão, o cheiro de crueldade e desprezo pela Natureza permanece no ar, como se a Natureza não fosse relevante para a vida humana, como se os filhos dos filhos que "se danassem" com o próprio futuro.

Quem são os criminosos que transmitiram a doença a esse moribundo aquoso putrefato que caminha vagarosamente na tentativa calada, morosa e desesperada de alimento?

Assassinos não são apenas aqueles que portam uma arma, mas aqueles que portam canetas, dizia meu velho pai.

Quem mata a vida, mata mesmo a vida. 

 Sorry walking dead's river, mas você está fadado a caminhar errante por longos anos de cruel indiferença humana. 
Quero ter esperança!




segunda-feira, 22 de abril de 2013

Ta lá o corpo estendido no chão...

Voltando para casa, entrei na rodovia que leva ao condomínio onde moro.
De dentro de meu carro, em meio ao trânsito pesado, observo:
Crianças no outro carro comem alguma coisa no banco de trás.
No outro lado, em outro carro, uma moça fala alto e um rapaz fala alto. Os dois falam ao mesmo tempo. Devem ser casados. Parece que ninguém precisa ouvir ninguém, apenas falar. Repentinamente, ambos se calam e olham para frente tentando enxergar algo que perderam no passado. 
Desvio meu olhar para o ônibus parado tentando voltar à rodovia assim que nós e nossos carros pudermos sair do lugar. - Parece que estamos plantados no asfalto - O motorista, de cara cansada, estressada e marcada pela severidade da vida dá uma cusparada vingativa no mundo. 
Ligo o rádio, ouço nas ondas que o trânsito em minha rodovia está parado: Um motoqueiro se espatifou no asfalto meio quilômetro a frente de onde estou plantada.- Poxa! que azar o meu! Penso egoisticamente que se tivesse dois minutinhos adiantada teria ultrapassado o motoqueiro antes dele se espatifar. 
Fico aterrorizada!
- Meu Deus, é um ser humano que morreu ali na frente!
- É um motoqueiro a mais, fala a banalidade de morte no trânsito incutida em meu cérebro por centenas de acidentes fatais já presenciados. 
- Deus - repito - É um ser humano que tem uma mãe que vai chorar a dor da perda. É alguém com uma história.
O trânsito se move lentamente, feito um rio Tietê - morto vivo "walking dead" da natureza.
Passo pelo corpo estendido no chão. Lembro João Bosco. http://www.cifraclub.com.br/joao-bosco/de-frente-pro-crime/
Penso numa oração.
Acho que cai uma lágrima ou será a poluição?
Chego em casa me sentindo culpada de alguma coisa.
Uma sensação incômoda, um aperto na garganta.
Penso na mãe do rapaz. 
Toca o telefone, atendo:
- Alo?
- Flor, preciso de você, to muito mal. 
- Que foi? Aconteceu alguma coisa? Pergunto preocupada.
- Não consegui convite para aquela festa da alta sociedade. Você pode me ajudar? Se eu não for, vou morrer. 
Fico calada.
- Flor?? Você esta aí?
Olho para minha mesa e lá está meu convite daquela festa fútil, cheia de gente se achando imortais, participantes de um mundo eufórico, irreal e exibicionista.
- Flor??? Você recebeu convite pra festa? Você é artista, deve ter recebido. Me leva com você. Flor, se eu não for nesta festa, vou morrer!
- Morra!
Bato o telefone e vou tomar um banho. Mas, antes, vou ligar para minhas duas irmãs que rezam para todo mundo que a gente pede para rezar.

terça-feira, 16 de abril de 2013

PRETENSOS IRÔNICOS ATUAIS - DE ANDY WARHOL À IMITAÇÃO BARATA DE HOUSE

Gosto de ironia fina, bem humorada, que não destroi nem magoa, apenas provoca risadas e que, às vezes, alivia situações difíceis.  Um comediante lida muito bem com isso. É uma arte.

Mas....

Desde o lançamento e impressionante sucesso em escala mundial da série HOUSE, criada pelo genial David Shore, quem ficou atento deve ter percebido o recrudescimento de personalidades pretensiosamente irônicas e mal educadas. Em geral, indivíduos desprovidos de carisma, insossos, mal resolvidos e "cabecinhas dúbias" se reinventaram a partir do brilhante desempenho do consagrado Hugh Laurie e passaram a imitar as atitudes, maus humores, grosserias, pedantismo, arrogância entre outras não virtudes do médico mais amado/odiado dos últimos tempos na TV.
Esses imitadores da ironia, desprovidos do intelecto de Gregory, recusam terminantemente a admitir que assistem televisão, mas são capazes de descrever o  penteado do dia de Ana Maria Braga, a quem costumam chamar como uma grande e inteligentíssima descoberta íntima de Ana Maria Brega, como se a mesma fosse se importar com a inveja grossa feito xarope, mas de sabor amargo a esvair dos lábios dos neo - houses. 
É caso lamentável e de risos constatar o quanto essas figurinhas se ralam e rebolam para mostrar uma perspicácia que estão longe de possuir, uma inteligência que jamais lhes bafejou os hemisférios cerebrais. Correm atrás dos famosos "Warhol's fifteen minutes" embora nem saibam quem foi o americano quase eslovaco, pai da ironia pop e reinventor da pop - art.
Warhol foi original. Não há mais ninguém como ele. Nunca mais haverá. O mundo atual só permite ironias no estilo TV series, ninguém mais suporta ataques sibilinos por parte de quem quer que seja, nem mesmo do chefe, isso é assédio e dá processo.
Numa certa emissora eu conheci há muito tempo um produtor que berrava e ironizava a todos. Na época, a maioria se calava, depois de uns 15 anos quando o reencontrei ele era um santo, pois a emissora ameaçou demiti - lo devido ao seu temperamento irascível e perturbado. O produtor fez um tratamento terapêutico e virou gente que deve respeitar o direito dos outros de não serem suas vítimas.
Outro irônico que conheci foi um certo moço que ao ser abordado por um menor perdeu toda sua ironia e relógio caríssimo sem pronunciar um "ai".
Essa ironic way of life baseado numa imitação barata de um programa de TV não pode servir de desculpa para personalidades deformadas, burras e desequilibradas saírem por aí, destilando todo o baixo astral, maledicência e lama de suas mentes e corações encima de quem quer apenas viver ao seu  modo.
A liberdade de ser e fazer é algo conquistado a duras penas ao longo de milênios e permitir que alguém venha abrir a boquinha maldita carregada de ódio, com a desculpa de ser um housesinho é de uma vergonha ímpar. Medíocre é pouco.
Para ser um irônico verdadeiro como foi Warhol deve - se ser genial e quem imita série de TV, definitivamente, não o é.

A IRONIA DIRECIONADA À DESTRUIÇÃO DE OUTREM QUASE SEMPRE É APENAS INVEJA RECALCADA.


"No quinto círculo dantesco ressaltam, inquestionavelmente, as pessoas irônicas, furiosas, os soberbos, altaneiros e orgulhosos"







sexta-feira, 12 de abril de 2013

FRUSTRADOS FRUSTAM, AGRESSIVOS AGRIDEM, BURRO CHAMA OS OUTROS DE IDIOTA E MAL AMADOS FALAM MAL DE TODO MUNDO.

 Nem precisava escrever mais nada...
Mas, vamos lá..
"A boca fala daquilo que o coração esta cheio." Essa é uma frase que ouvi ao longo da vida e serviu muito para aprender e refletir. 
Cosi è ( se vi pare) - Pirandello. 
( Não existe uma verdade, mas apenas versões e pontos de vistas segundo o julgamento interior de cada um).
"Quando alguém tece um comentário ácido, maldoso, obviamente não é necessariamente um manifesto verdadeiro da realidade, mas apenas a manifestação dos próprios sentimentos a respeito daquilo que esta sendo comentado" - disse - me um amigo.
Só falamos sobre aquilo que conhecemos bem e não é conhecimento adquirido culturalmente, é conhecimento interno formado por nossos traumas, crueldade ou bondade.
Manifestamos na palavra e na opinião sobre a vida alheia, nossos conhecimentos, semelhanças, identificação, experiências, virtudes e não virtudes.
Quem julga algo, julga segundo seus padrões morais tortuosos ou não.

 Exemplo:
Meu irmão é portador de esclerose múltipla há mais de 10 anos. Um sobrevivente. Já foi diagnosticado com pouco tempo de vida por várias vezes, mas ele, teimosamente sobrevive e espalha bom humor a sua volta. As vezes, é acometido por dificuldades inerentes à doença. Esses períodos de surto causa sofrimento e dores a ele e a toda família e amigos que o amam. Mas, passa. 
O que não passa é seu caminhar torto, enviesado, resultado da falta de coordenação motora causada pela esclerose.
Uma vez, em Campinas, quando ele ainda não estava na cadeira de rodas, nós andávamos no centro da cidade atrás de alguns documentos e ele, com seu andar trôpego e descoordenado caminhava alegre contando - me algo engraçado, quando um apressado esbarrou e meu irmão quase foi ao chão:
- Bêbado filho da ... - Xingou o apressadinho julgando de maneira cruel e leviana a dificuldade de locomoção de meu irmão.
Eu, que sempre fui estourada, ia reagir e falar algumas verdades para aquele estúpido, mas fui contida por uma mão trêmula.
- Irmã, deixa pra lá. Ele deve estar acostumado a conviver com bêbados, ou quem sabe seja um, por isso me julgou mal.