sexta-feira, 12 de abril de 2013

FRUSTRADOS FRUSTAM, AGRESSIVOS AGRIDEM, BURRO CHAMA OS OUTROS DE IDIOTA E MAL AMADOS FALAM MAL DE TODO MUNDO.

 Nem precisava escrever mais nada...
Mas, vamos lá..
"A boca fala daquilo que o coração esta cheio." Essa é uma frase que ouvi ao longo da vida e serviu muito para aprender e refletir. 
Cosi è ( se vi pare) - Pirandello. 
( Não existe uma verdade, mas apenas versões e pontos de vistas segundo o julgamento interior de cada um).
"Quando alguém tece um comentário ácido, maldoso, obviamente não é necessariamente um manifesto verdadeiro da realidade, mas apenas a manifestação dos próprios sentimentos a respeito daquilo que esta sendo comentado" - disse - me um amigo.
Só falamos sobre aquilo que conhecemos bem e não é conhecimento adquirido culturalmente, é conhecimento interno formado por nossos traumas, crueldade ou bondade.
Manifestamos na palavra e na opinião sobre a vida alheia, nossos conhecimentos, semelhanças, identificação, experiências, virtudes e não virtudes.
Quem julga algo, julga segundo seus padrões morais tortuosos ou não.

 Exemplo:
Meu irmão é portador de esclerose múltipla há mais de 10 anos. Um sobrevivente. Já foi diagnosticado com pouco tempo de vida por várias vezes, mas ele, teimosamente sobrevive e espalha bom humor a sua volta. As vezes, é acometido por dificuldades inerentes à doença. Esses períodos de surto causa sofrimento e dores a ele e a toda família e amigos que o amam. Mas, passa. 
O que não passa é seu caminhar torto, enviesado, resultado da falta de coordenação motora causada pela esclerose.
Uma vez, em Campinas, quando ele ainda não estava na cadeira de rodas, nós andávamos no centro da cidade atrás de alguns documentos e ele, com seu andar trôpego e descoordenado caminhava alegre contando - me algo engraçado, quando um apressado esbarrou e meu irmão quase foi ao chão:
- Bêbado filho da ... - Xingou o apressadinho julgando de maneira cruel e leviana a dificuldade de locomoção de meu irmão.
Eu, que sempre fui estourada, ia reagir e falar algumas verdades para aquele estúpido, mas fui contida por uma mão trêmula.
- Irmã, deixa pra lá. Ele deve estar acostumado a conviver com bêbados, ou quem sabe seja um, por isso me julgou mal.