domingo, 21 de dezembro de 2014

QUERO ME APAIXONAR. ALGUÉM SE CANDIDATA?


Duas semanas atrás, quase me apaixonei, mas o cara não entendeu direito, então resolvi ir de encontro à ele e tentar deixar mais claro.
Fui no local onde ele estava. Não deu para ter um momento a sós. Muita gente, muita coisa acontecendo... 
Mas, fiz de tudo: coloquei uma roupa matadora, sapatos sensuais, pouca maquiagem, mas muito bem feita e ... 
Olhei em seus olhos, fixei, usei aquele charme do olhar que só mulher sabe usar, o olhar que se entrega toda. Não apenas um olhar 43, mas,no mínimo, um olhar 43³³ , caprichei. 
Puxei pela memória dos meus filmes, respirei, usei minha voz rouca, fiz de tudo. 
Fui discreta, mas, certamente, óbvia demais. 
Ele, quase três horas depois de muita música, mulherada para todo lado, garçons, seguranças, finalmente, "me enxergou" e pela surpresa estampada em seu rosto, entendeu meus sinais. 
Ficou tímido! 

Que é isso!? Pensei. Ele é pegador! E, desde quando, Pegador fica tímido!? 

Ih, pensei, não faço o tipo dele. Ok. Sem problemas.
Meu demoniozinho interior sussurrou minha idade em meus ouvidos. 
É! É isso. 
Concluí, aceitando o Tempo como um amigo e, tranquila, fui me despedir do meu quase amado.

Curiosamente, ele estava sem jeito, mãos suadas e trêmulas, palavras atropeladas. 
Abraçou - me com uma força sensual que me arrepiou. Beijou meu rosto como se beijasse minha boca. 
Pediu meu telefone, eu dei. 
Apertou minha mão de novo, olhou, intencionalmente, em meus olhos, apertou minha cintura, colou -me outro beijo no limiar de meus lábios e só não caí em seus braços porque um monte de gente estava naquele cubículo barulhento, olhando e aguardando...
ENTÃO......
ELE NÃO TELEFONOU!!!!!!!
Uma semana e nada!

Quer saber?
Que se exploda!! Não tenho mais tempo para essas dúvidas ou inseguranças ou, sei lá o que.

Então se passaram duas semanas. Ele ligou, ardente, mas eu já estava morna. Bateu um cansaço, preguiça, sei lá... Quanto mais ele se explicava, mais me desanimava. Duas semanas. O que teria acontecido se ele me ligasse no dia seguinte? Certamente, não sentiria esse cansaço. 
- Ligo amanhã pra gente marcar. - Eu disse sem nenhum remorso por estar mentindo.  



Mas, to com uma vontade de me apaixonar. (Não confunda, é de paixão que estou falando, de olho no olho, ligar de madrugada, segurar na mão e beijar)

ALGUÉM SE CANDIDATA? 




sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

RETÓRICA DO MAL


A retórica do mal é simples, eivada de argumentação duvidosa, com aparência de bondade, irrigada de indignação falaciosa e muito carregada em emoção.

Todos os "príncipes" de Machiavelli se apresentavam dessa forma, mesmo antes de Maquiavel existir, todos carregaram multidões, foram exímios artistas na persuasão, todos sopraram falsas esperanças e todos esses "príncipes" foram poderosos, amealharam fortunas e pasmem!.....
TODO MUNDO ACREDITOU NELES!

A História, com H maiúsculo, não serve de aprendizado à humanidade. 
Se Nero voltasse amanhã, iria colocar fogo em Roma e seria aplaudido.
Se Hitler.... óbvio demais para ser citado. Nem sei se ele, realmente, está morto, apesar de crer nas suas cinzas enfrente ao seu bunker em Berlim. Contudo, Adolph nunca esteve mais vivo. Seus métodos de persuasão e sua incrível, "humana", "sentimentalóide" e suspirada oratória é fartamente utilizada em todos os meios sociais, incluindo meio religioso e polí... não serei óbvia de novo.

Eu não nasci nesse mundo, quero concluir, mas percebo, que fui apenas uma ingênua que acreditava na trilogia: paz, amor e honestidade. 
Uso uma lupa e muito boa vontade para encontrar essa trilogia no Brasil atual.

PAUSA!
Não falo apenas do ambiente podre político e com todos os partidos e todos os políticos inclusos.
Me incluam fora dessa orgia demente, sem gozo e com prazer estranho e doente.

Falo do simples dia a dia. Falo do óbvio. Falo dos humanos.
Qualquer instituição pública ou privada, esta aí para corromper, ser corrompida e "levar  cigarros Vila Rica", ou seja, levar vantagem. Infelizmente, as instituições são compostas de homens e mulheres, de indivíduos que poderiam fazer a diferença na luta cotidiana.
A erva daninha nasce pequena, as atitudes cínicas também.
Se você não verificar o canhoto do cartão, o valor digitado pode ser mais alto.
Se comprar em liquidação, o produto, possivelmente, sera de péssima qualidade ou preço adulterado
Se comprar carro, terá problemas.
Se comprar celular, ai ai ai.
Se procurar assistência técnica de qualquer produto... 
Se entrar na justiça, tome dor de cabeça e reze.
Se esbarrar em alguém....
Etc
Um infinito de coisinhas tão infinitesimais como os micróbios, mas, que também matam.

É um calvário que enodoa a vida. Que estressa. Que encurta o prazer, encurta a vida. Que empobrece o caráter dos mais fracos, empobrece as emoções. Que desperdiça tempo, desperdiça alegria. 
Que leva à morte. 

É apenas o espelho daqueles que foram escolhidos na direção do país ou os dirigentes do país são nossos espelhos?
Os grandes assassinos de povo ou de ideais são apenas os medíocres maldosos do cotidiano elevados a cargos importantes.

Não venha defender esse ou aquele partido! Isso é de uma pobreza mental e paranoica que me dá ânsia e não quero vomitar. 




Prefiro os cachorros! Prefiro os seres que não são os humanos.


sábado, 4 de outubro de 2014

Queria ter sido um dos Beatles





Bem, que eu queria ter sido um dos Beatles.
Seria incrível dar aquele gritinho? Hey Jude, Jude, Jude wow!
Ou ser a Les Paul dedilhada por George em Something.
OU
ter cantado, pelo menos, aquele trechinho: Get Back, Joe!
tocar a introdução de And I love her.

.... tantos motivos para ser um Beatle....    

E o John casou com a Yoko, aí ele morreu, ela ficou viva... até hoje!
E, a Linda Eastman McCartney deveria estar viva até hoje. Vegana, hippie de alma...
E o George morreu muito, muito, muito cedo. 
E, o Ringo...., gosto de sua bateria e Octopossus Garden.

Ainda bem que tive tempo de viver para ver e ouvir e gostar dos Beatles.

George
Paul
John
Ringo




I thank you.



quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Pesadelo


Por que estou acordada nessa madrugada seca?

Por que essa melancolia?

Ha seculos que nao me sinto assim!

Estou com 6 anos e esperando minha mae vir me acordar, dizendo:
- Calma filha, foi so um pesadelo.



segunda-feira, 28 de abril de 2014

Esse tal Funk Ostentação...

Vejo alguns jovens da periferia desesperados em busca de um lugar ao Sol.
Só quem morou ou trabalhou com esses meninos e meninas excluídos da Educação de Qualidade e consequente Desenvolvimento Cultural e Mental consegue entender o quanto eles são verdadeiros heróis , meio tortos é verdade. Passarinhos que não sabem cantar, mas emitem seus gorjeios estranhos e vencem, de forma impressionante! Eles não possuem orientação, provavelmente ninguém letrado anda ao lado deles, ou quem sabe, os letrados somente andam junto para os explorar quando fazem sucesso com seus funks de gosto duvidoso e retorno monetário certo.
Eu não culpo esses moleques, excluídos pelo nascimento, de se comportarem equivocadamente na forma nada construtiva de OSTENTAÇÃO. 
São apenas vítimas de uma sociedade cruel e desigual, lutando com garra, as vezes bem afiadas, e deboche de uma sociedade que os despreza, mas que os imita no linguajar, modos, trajes etc.
Talvez eles pudessem almejar algo mais valoroso como alguns ex- favelados fizeram e venceram, talvez, não sei, nem todo mundo tem o privilégio de ter o cérebro mais desenvolvido, um QI diferenciado ou uma boa orientação ou quem sabe, apenas uma ajuda de alguém mais bem posicionado na vida.
O Douglas, o DG tinha uma mãe valorosa, como estamos vendo e, também, teve uma excelente oportunidade e apoio de gente importante. O futuro lhe sorria, mas aí a crueldade de seu local de nascimento carregado de descaso e preconceito enviou uma bala em suas costas e ele terminou ali num buraco de onde alguns acham que ele nunca deveria ter saído.
O futuro pode ser muito curto na visão desses moços, pobres moços, e o que vale é a sobrevivência, mesmo com o baixo produto de suas mentes não educadas nem providas de cultura.
E o que fazer?
Falar mal daqueles que ousam ostentar com a pequena e atrevida cabeça escapando do buraco onde moram e quase vivem?

É como querer culpar a pobre esposa do Amarildo por, possivelmente, ser bêbada.
.... Não sou religiosa, mas recordo Madalena e o


homem de cabelos compridos e sua fala sobre a primeira pedra....


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

SOMENTE PARA QUEM AMA CÃES.

É fácil amar quando tudo está bem.

É fácil amar filhotinhos alegres, sapecas, tolinhos, estabanados...
É fácil amar nossos parceiros caninos quando eles estão em plena juventude, pujantes, risonhos, serelepes, correndo e perturbando outros cães no parque. Passando por cima  (eu sempre acho que fazem de propósito) de cães menores.
É fácil amar quando se lambuzam na lama e nós queremos esgana -los e segundo depois caímos na risada e os chamamos de safados!
É fácil, muito fácil amar aquele olhar maroto, divertido, pesquisador e, principalmente aquele olhar indefinido, ao qual dei o nome de "olhar de Ué". 

É fácil amar quando chegamos em casa e eles fazem aquela bagunça toda que nos aflige por causa dos vizinhos, mas que nos aquece o coração e imediatamente, olhamos suas carinhas lambidas que nos diz: fiz coisa errada, mas não fui eu. Basta procurar e encontramos um xixi na porta do quarto, o papel higiênico desenrolado ou mesmo o saco de lixo estraçalhado. Ficamos nervosos, por um segundo e ao nos voltarmos, severamente, para aquele safado, vemos sua expressão safadíssima de:
To perdoado, né? 
Sou tão bonzinho. 
Senti sua falta, 
olha meu rabinho no meio das pernas, 
minha carinha de coitadinho de olhos alegres, 
e, a vitória final: 
Pode coçar minhas tetas, eu deixo.
É fácil amar esses anjos de amor e alegria.

Mas, eles envelhecem, ficam doentinhos, fedidinhos, cheios de tumores, pelos caindo, olhos esbranquiçados, surdinhos, perdem a safadeza,
perdem o brilho...,
o latido de tão fraquinho nem perturba mais o vizinho.
Tentam andar e cai a bundinha, 
tentam correr e não saem do lugar,
a gente vê que a vida ainda está lá dentro deles quando chegamos, mas apenas o rabinho se mexe,
o olhar de Ué já se foi há muito tempo,
andam batendo a cabeça,
escorrendo xixi pelas pernas. 
então ... Eles envelhecem e é aí que o amor se torna mais forte dentro da gente. 
Olhamos em seus olhinhos cegos e remelentos e juramos com um amor tão grande que nem cabe em nossos corações que iremos ama - los eternamente, eternamente. 

Independente de religião, sabemos que eles estarão lá, no Lugar que todos nós iremos aportar no dia que chega para todos. 

Quando,à noite, agarrados em nosso travesseiro, soluçando baixinho, garganta travada, choramos a partida de nosso amiguinho, lembramos que tem outros anjinhos sofrendo nas ruas, em mãos cruéis, perdidos, envelhecendo e sendo abandonados sem dó, enxugamos as lágrimas e em nome de nosso amor pelo focinho frio e pelos espalhados pela casa daquele que se foi, juramos mais uma vez, que por tanto amor compartilhado, prosseguiremos e, no dia seguinte, trazemos outro animal para "perturbar" e alegrar nossa vida. 

JAMAIS ESQUECEREMOS OS QUE SE FORAM E EM NOME DELES SEGUIREMOS RECOLHENDO SEUS IRMÃOS SOFRIDOS PORQUE
NÓS AMAMOS OS CÃES.

 Em memória de Ariel, Pitchula

Vocês três foram embora rápido demais, minhas meninas.

Dominique escolheu adotar Ariel, mas Ariel escolheu me adotar e eu escolhi adotar Jasmine, mas Jasmine escolheu adotar Dominique.
Escolhemos adotar Pitchula, mas ela nos adotou.

E, vivíamos felizes.

 jamais as esqueceremos.

Pitchula viveu muitos anos conosco.

Ariel e Jasmine foram resgatadas juntas e quase juntas se foram.

AMOR ETERNO

  
ATÉ BREVE ARIEL

ATÉ BREVE JASMINE.

ATÉ BREVE PITCHULA.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Jogadores negros são macacos?

Vejo muita gente racista chamando jogadores negros de macacos, como se fosse uma ofensa. 
Não vamos ser hipócritas, pois todos sabemos que, em geral, isso ocorre na Europa, mas existem muitos racistas idiotas na América Latina, como foi o caso dos peruanos que protagonizaram um espetáculo ridículo contra o Tinga. 
Essa atitude desprezível sempre é protagonizada por torcedores covardes, protegidos pelo anonimato da multidão, mas que jamais teriam coragem de abrir a boca e falar "macaco" na cara de um africano, brasileiro ou qualquer outro jogador negro.

E, vejo jogadores negros sentindo - se ofendidos por isso.

Eu acho o Macaco superior a qualquer ser humano, seja branco ou negro, homem ou mulher.
Estudar a sociedade dos gorilas, dos macacos, chimpanzés etc, traz agradáveis e inusitadas surpresas. Eles são seres especiais, bem mais especiais que os humanos. 
Ser comparado a um macaco não deveria ser motivo de pesar, mas de mérito. Macacos são melhores que os humanos.

O dia em que um jogador negro exaltar a qualidade dos macacos muita gente branca vai se calar. O dia que um negro tiver a coragem de comer a banana atirada, entrar em campo com uma camisa onde se estampa a cara doce e gentil de um macaco, muitos irão perceber a dignidade que existe em um macaco e inexiste em certos humanos imbecilizados e amargurados.
É melhor ser macaco do que um idiota cruel, metido a ariano e invejoso!

Ver um negro brilhando com seu talento atiça o lado minúsculo de algumas personalidades doentias de um punhado de homens brancos que ainda chafurdam no rastro de lama deixado pelas botas nazistas ou fascistas ou franquistas ou Klu klux Klan ou...

 Particularmente, acho que a qualidade dos jogadores negros, aliado ao mito (ou não) do tamanho de seus pênis e o enrustimento de muitos brancos despertam uma inveja avassaladora e insuportável em uma minoria europeia e latina de mentes mal resolvidas, maléficas e invejosas que eles quase ejaculam quando se liberam e gritam "macaco" para quem eles idolatram e pagam rios de dinheiro somente para ve - los em seus estádios. 

É... A inveja é uma merda.




segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

RESPOSTA CURTA E EDUCADA AO COLUNISTA DA REVISTA VEJA, SR. REINALDO AZEVEDO QUE SEMPRE ME CHAMA DE TROGLODITA E VÂNDALA.

A vândala e troglodita como o senhor me descreve, resolveu finalmente, aceitar sua provocação, mas invés de usar as mesmas armas do ódio e ferocidade e acostumada a conviver com animais, responde com a mesma mansidão de um vira lata qdo é resgatado por quem o ama. 
Vc, claro que se lembra, pode afirmar e reafirmar que não, já me conhece. SABEMOS DE NOSSO PASSADO, onde eu disse NÃO. MAS, não estou aqui para levantar coisas de qdo eu era jovem e o sr já era, vamos dizer... !intelectual de óculos. Eram óculos de aros mais redondos e lente muito grossas, não é mesmo?
Estou aqui para dizer que a Alemanha premiou a BASF, indústria farmacêutica. 

Como eu sei, há anos, que vc fala e lê inglês corretamente, assim sendo, não vai ser difícil se informar a respeito do porquê desse prêmio. O Link vai abaixo.
Consideração final: o sr pode continuar a favor de testes em animais, é o seu direito, mas pesquise, investigue e se informe melhor. Se foi ousado comigo há tantos anos, seja ousado agora e investigue o instituto Royal.
Um abraço de uma amiga do passado, vândala e troglodita atual, que jamais leu sua coluna, apenas aquelas duas, vc sabe quais. 

Se quis chamar minha atenção, conseguiu, mas minha resposta à sua opinião, continua sendo a mesma de qdo eu era uma menina belíssima (não sou mais e continuo feliz): NÃO. 
  

http://www.basf.com/group/corporate/site-ludwigshafen/en/news-and-media-relations/news-releases/P-13-540

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

MEDO DO INFINITO?


O HOMEM E O MEDO DO INFINITO 




Não há maior consolação para a mediocridade do que o fato de o gênio não ser imortal-- Goethe

Há pessoas que criticam tudo - assim, não enxergam os próprios defeitos.
Há gente que debocha de tudo - agindo assim, eles riem tolamente de seu vazio íntimo.
Há àqueles que se irritam com tudo - dessa forma, demonstram como se odeiam.

Há muitos infelizes, mal - amados, traumatizados, amedrontados, que preferem projetar seus próprios defeitos nos outros, como uma maneira de minimizar a prepotência de se sentir um semideus, sabendo que não passa apenas de um reles mortal.
A ideia de transitoriedade - todos morrem - deve arder na alma desses pretensos semideuses, donos daquilo que acham que é verdade.
Talvez, o fato de parecer que estamos sozinhos na imensidão das galáxias amedronte consciente e subconscientemente essas pessoas, que não querem aceitar a insignificância da vida diante dos Cosmos.
Talvez, muitos se achem abandonados pelo Universo.
Infelizmente, o fato é que o Universo é indiferente ao destino dos seres humanos. Todos nós poderíamos ser Einstein ou Hawking e decifra - lo, mas, mesmo se assim fosse, seríamos devorados por ele. Estamos inertes, mediocrizados diante do Infinito. E, até esse nosso pequeno sol, de quinta grandeza, continuará brilhando após a morte de quem amamos ou odiamos e brilhará após nossa morte - frieza do Sol e apatia do Universo. - E no último ocaso, ninguém irá aplaudir. A platéia do Sol de Ipanema já não existirá.
Muitos apegam - se, fanaticamente, a uma religião criada por eles mesmos, na vã tentativa de estancar o abismo interno, e, iniciam uma trajetória de guerra contra tudo e todos. Se eu morro, você morre. Se eu sofro, você sofre.
Medo, apenas medo de encarar a transitoriedade, a brevidade e o imenso e amedrontador Nada.
E, apesar desse medo infinito, nada poderá impedir a morte de todos os choros e sorrisos. 
Mas... 
O que é difícil compreender é que neste nosso ínfimo planeta, podemos encontrar alguns humanos que conseguiram superar a sua exiguidade, que veem felicidade verdadeira nesse Caos, inclusive, há muitos destemidos que amam de verdade.