segunda-feira, 28 de abril de 2014

Esse tal Funk Ostentação...

Vejo alguns jovens da periferia desesperados em busca de um lugar ao Sol.
Só quem morou ou trabalhou com esses meninos e meninas excluídos da Educação de Qualidade e consequente Desenvolvimento Cultural e Mental consegue entender o quanto eles são verdadeiros heróis , meio tortos é verdade. Passarinhos que não sabem cantar, mas emitem seus gorjeios estranhos e vencem, de forma impressionante! Eles não possuem orientação, provavelmente ninguém letrado anda ao lado deles, ou quem sabe, os letrados somente andam junto para os explorar quando fazem sucesso com seus funks de gosto duvidoso e retorno monetário certo.
Eu não culpo esses moleques, excluídos pelo nascimento, de se comportarem equivocadamente na forma nada construtiva de OSTENTAÇÃO. 
São apenas vítimas de uma sociedade cruel e desigual, lutando com garra, as vezes bem afiadas, e deboche de uma sociedade que os despreza, mas que os imita no linguajar, modos, trajes etc.
Talvez eles pudessem almejar algo mais valoroso como alguns ex- favelados fizeram e venceram, talvez, não sei, nem todo mundo tem o privilégio de ter o cérebro mais desenvolvido, um QI diferenciado ou uma boa orientação ou quem sabe, apenas uma ajuda de alguém mais bem posicionado na vida.
O Douglas, o DG tinha uma mãe valorosa, como estamos vendo e, também, teve uma excelente oportunidade e apoio de gente importante. O futuro lhe sorria, mas aí a crueldade de seu local de nascimento carregado de descaso e preconceito enviou uma bala em suas costas e ele terminou ali num buraco de onde alguns acham que ele nunca deveria ter saído.
O futuro pode ser muito curto na visão desses moços, pobres moços, e o que vale é a sobrevivência, mesmo com o baixo produto de suas mentes não educadas nem providas de cultura.
E o que fazer?
Falar mal daqueles que ousam ostentar com a pequena e atrevida cabeça escapando do buraco onde moram e quase vivem?

É como querer culpar a pobre esposa do Amarildo por, possivelmente, ser bêbada.
.... Não sou religiosa, mas recordo Madalena e o


homem de cabelos compridos e sua fala sobre a primeira pedra....