quinta-feira, 12 de março de 2015

DE QUEM SÃO ESSAS TRAÇAS?

O que há de anormal nas traças? Nada. 
Elas nasceram com a função de roer e é isso o que elas fazem. 
Roem e roem. 
São pragas que só sabem roer, destruir, arrasar tudo o que veem pela frente.
Insaciáveis!
Eu já vi muitas traças. Traças demais. 
Quem não as viu?
Dizem que elas atacam escolas, hospitais, caixas de remédios, depósito de alimentos, teatros, museus, enfim... Onde tiver com que se locupletar elas se locupletam. 
Contam que elas vieram para cá na caravela de Cabral. Infestaram o país em pouco tempo. 
Continuam corroendo. Dá para ouvir o som, não delas, mas de suas vítimas. Do choro de suas vítimas.
Crianças choram quando são roídas pelas traças.
Doentes choram quando são roídos pelas traças.
Pai de família chora quando é roído pela traça.
Pequenos empresários também choram. Ouvi por aí que grandes empresários sabem lidar muito bem com as traças. Eles dão dinheiro para elas roerem.

Um povo chora por causa das traças. 
Todos tentam exterminar essa praga, mas o problema é que o povo forma torcida organizada contra as Traças, e, então essas torcidas querem ter o poder de decidir qual o melhor remédio para acabar com as traças, qual traça é a pior traça etc e inventam "nominhos" bonitinhos para definir seus adversários, como por exemplo: tracionária, Tratalha, traxinha e assim por diante, desta forma, com tanta criatividade e embates pífios nas redes sociais, todo mundo se diverte de tanto ódio e esquecem as traças roendo. 
E as Traças? As traças não ligam para ninguém, elas só pensam na barriga delas e continuam roendo roendo roendo. 

Quem é culpado pelas traças?
Eu não sei, mas estou para acreditar que em 1.500, na nave de Cabral, essas traças começaram a manipular o DNA dos futuros povoadores da Terra de Vera Cruz, acrescentando uma quinta base hidrogenada ao mesmo. Desta forma, os veracruzenses, além de adenina, citosina, guanina, timina em seus deoxyribonucleic acid  foram inoculados com a destruidora tracianina (desonestus sacaneadores dus bolsus alheius. Politicus corruptus, fdputis)

Simplificando: roer o próximo faz parte da origem de nosso antigos veracruzenses, atuais brasileiros.